Uma viagem em 3D pela Covilhã

Luís Agostinho, fotógrafo, produziu aquele que afirma ser o primeiro filme a três dimensões sobre uma cidade
0
241

Na noite do último sábado, 10, na Praça do Município, acompanhado pela Banda da Covilhã, Luís Agostinho, fotógrafo covilhanense, apresentou aquele que afirma ser o primeiro filme sobre uma cidade em 3D, com a duração de 20 minutos, mas muitos meses de trabalho até obter o resultado final.

O fotógrafo de 48 anos, natural de Cantar Galo, encontrou no recurso à tridimensionalidade uma forma de encaminhar o olhar de quem vê para pormenores que entende merecerem ser destacados.

Decidiu que “Covilhã 3D”, produzido com o apoio da Câmara da Covilhã, seria uma viagem por um percurso que o próprio recomendaria a alguém que visita a cidade.

Começa na Serra da Estrela, com a neve a derreter, a fauna, a pastorícia, o novo miradouro da Varanda dos Carqueijais e segue pela cidade, com passagens pela Rua dos Bombeiros, Jardim Municipal, interior da Igreja de São Francisco, pelo Centro Histórico, onde se chama a atenção para “alguns elementos judaicos”, pelo Pelourinho, exterior da Capela de São Martinho, mostra-se um dos ascensores mecânicos, percorrem-se algumas peças de arte urbana, segue-se para a universidade, Jardim do Lago e termina com a paisagem rosa dos pessegueiros em flor.

“É o olhar de quem ama e conhece o potencial desta região”, salienta Luís Agostinho, que optou por retratar as quatro estações do ano, que o turista habitual não conhece. “O turista conhece os caminhos principais e não costuma ter acesso a outras coisas. Temos uma paisagem lindíssima, o mar cor-de-rosa dos pessegueiros em flor, que devia ser explorada”, exemplifica o fotógrafo.

(Notícia completa na edição papel)

Deixe um comentário