Quando o Covilhã assustou o Salgueiros de Deco

Há 22 anos, no Santos Pinto, um duelo para a Taça. Como o da próxima segunda-feira
0
313

O reencontro para uma eliminatória da Taça de Portugal em que os papéis estão invertidos. O Sporting da Covilhã defronta na próxima segunda-feira, 21, pelas 11 horas da manhã (com transmissão no Canal 11) o Sport Comércio e Salgueiros, um dos históricos do futebol nacional que, curiosamente, há quase 22 anos atrás calhou em sorte aos serranos, na quarta eliminatória da Taça, quando era uma equipa de topo em Portugal, e os “Leões da Serra” tentavam o regresso ao segundo escalão do futebol nacional.

A 10 de Janeiro de 1999, o Santos Pinto encheu para ver o Covilhã defrontar o Salgueiros, então na Primeira Divisão, que tinha nomes como os de Abílio, Cao (campeão do mundo sub-20 por Portugal, em Lisboa) ou um tal de Deco, que anos depois se tornaria num dos melhores jogadores nacionais ao serviço do Porto, e com passagens por clubes como o Barcelona e Chelsea.

Em casa, o Covilhã, que militava na Segunda Divisão- Zona Centro (então o terceiro escalão do futebol nacional), tentava a surpresa de afastar o “velho salgueiral”, que era de “primeira”. O jogo, contudo, não correu de feição aos serranos, que viram os forasteiros marcar aos 36 e 39 minutos, pelo brasileiro Celso, o segundo golo muito contestado pelos locais, por ser obtido, alegadamente, após dominar a bola com a mão. Ao intervalo, os nortenhos ganhavam por 0-3, depois de Cao, aos 44 minutos, marcar mais um golo.

Na segunda parte, os “Leões da Serra” foram atrás do prejuízo e “apertaram” os encarnados do Porto, com Miguel Vaz, na transformação de um livre, aos 55 minutos, a fazer um grande golo e reduzir diferenças, e o central João Carlos, aos 79 minutos, de cabeça, a reacender a esperança serrana. Só que, dois minutos depois, Carlos Ferreira, na recarga a um livre de Abílio que foi à trave da baliza de Luciano, iria sentenciar a partida.

Jesus e Dito eram os treinadores

No banco do Covilhã, o líder era António Jesus, já desaparecido, e que levou mesmo os serranos, nessa temporada, à Liga de Honra. No Salgueiros, o técnico era Dito, que faleceu recentemente, e teve uma passagem fugaz pelo Sporting da Covilhã.

No final, Jesus lamentava os golos “anormais” que a equipa sofrera, e elogiava os atletas. “Só uma grande equipa consegue estar à beira de dar a volta ao resultado com o Salgueiros”, acreditando que se os serranos fizessem o 3-3 passariam a eliminatória.

Já Dito dizia que a eliminatória nunca tinha estado em risco, mas que o Covilhã da segunda parte “nos obrigou a correr mais”.

No próximo domingo, reedita-se o duelo, mas em casa dos nortenhos, que partem com papel invertido de serem eles a tentar serem os “tomba-gigantes”, frente a uma equipa da II Liga. O Salgueiros é actual terceiro classificado da série C do Campeonato de Portugal e tem nas suas fileiras, como nomes mais conhecidos, Tarcísio, que já passou pelo Covilhã, ou Braga, há duas épocas atrás no Aves, na Primeira Liga.

Deixe um comentário