Pandemia antecipa Festival de Teatro

Na Covilhã, a partir de dia 24
0
105

Com menos espectáculos, menos público, as sessões para a infância e juventude em moldes e horários diferentes e pela primeira vez em Setembro, o Festival de Teatro da Covilhã tem início dia 24 e prolonga-se até 3 de Outubro.

A 38.ª edição do festival promovido pelo Teatro das Beiras é marcado pela pandemia provocada pela covid-19. A companhia, com sede na Covilhã, esteve dois meses e meia parada e teve de reagendar as suas actividades, antecipando o evento, para poder até ao final do ano produzir a nova peça.

Algumas das companhias previstas não conseguiram concretizar as produções e por isso o programa do Festival de Teatro da Covilhã teve de ser adaptado às circunstâncias, sem perder o cunho “da qualidade”, acentua Fernando Sena, o director.

Fernando Sena destaca a presença, no primeiro dia, do Teatro da Rainha, com “Discurso Sobre o Filho-da-Puta”, e do Ksisalida Teatro, com “Plastikus”, dia 28, ambos “pela primeira vez na Covilhã”.

A programação integra ainda o Teatro Art`Imagem, que apresenta dia 25 “Armazenados”, o Teatro Gurigai, com “Libro de Buen Amor”, dia 26, os Karlik Danza Teatro com “El Licenciado Vidriera” e a companhia anfitriã, o Teatro das Beiras, que no encerramento, dia 3 de Outubro, volta a subir ao palco com a peça “Una Donna Sola”, estreada em 2018. Todos os espectáculos têm início às 21h30, no auditório do Teatro das Beiras.

As apresentações para a infância, em vez das duas sessões diárias, passam a ser ao final da tarde, às 18h30, um horário a pensar nos pais que queiram levar os filhos ao teatro, uma vez que “não se sabe se as crianças poderão sair da escola” para se deslocarem ao Teatro das Beiras, como habitualmente.

(Notícia completa na edição papel)

Deixe um comentário