Nova dinâmica em cinco dias agradou na Feira Medieval

Balanço é positivo em Belmonte
0
798

A “Lenda do Cativo de Belmonte” acabou por ser, na passada semana, o tema mais central, e a grande novidade, da 16ª edição da Feira Medieval de Belmonte. A história de Manuel, um escudeiro belmontense que foi capturado pelos Mouros, e depois de pedir muito à santa da terra, Nossa Senhora da Esperança, conseguiu regressar a Belmonte, foi recriada na noite de quinta-feira, 15, feriado nacional, num espectáculo que contou com voluntários da localidade, que participaram numa residência artística. Devido ao feriado, este ano, a Belmonte Medieval cresceu para cinco dias. Uma aposta do município que agora vai avaliar o retorno. Dias Rocha, autarca local, diz que cinco dias “é capaz de ser muito, cansativo”, mas acredita que um dia Belmonte poderá apostar em mais, como Santa Maria da Feira. “Gostava de ter arcaboiço, mas é preciso que as pessoas queiram” frisa. Certo é que entre quarta-feira, 14, e domingo, 18, milhares voltaram às ruas da vila para não só degustarem iguarias nas tasquinhas e restaurantes típicos, comprar artesanato, nas cerca de 136 barracas montadas na zona histórica, mas para assistirem a inúmeros espectáculos de música ou teatro, na rua ou no interior do Castelo, protagonizados por cerca de duas dezenas de grupos vindos quer de Portugal, quer do estrangeiro. Uma animação que agradou ao público, que teve vários palcos, e que este ano esteve entregue a uma empresa privada, a Coruja do Mato. “Achámos que era altura de fazer algumas alterações, com outras actividades e novas pessoas na organização” justifica Dias Rocha. Que acabou por ver a vila com muita gente, apesar de no primeiro dia a afluência ter estado abaixo do normal. Em semana de crise nos combustíveis. “Estou convicto que pode afectar a vinda a Belmonte, mas esperamos que impere o bom senso e o País não sofra” desejava o autarca. Com ou sem crise, o certo é que houve gente. Muita. Em cinco dias, em que, para já, o balanço da autarquia é positivo. E em que, feirantes e populares, elogiaram ao NC a nova “roupagem” e dinâmica do evento este ano. Para o ano há mais…

Deixe um comentário