Nem todos os judeus ficam em Israel

Daniela Morão é um dos casos da comunidade, que emigrou para Israel e regressou a Belmonte
0
631

Daniela sempre teve o sonho de, um dia, viver em Israel. Que concretizou, há uns anos atrás. Ali conheceu o marido, Arieh, esteve por lá algum tempo, com os pais e o irmão (que ainda lá vive), mas acabou por regressar e, agora, tem negócio próprio na vila. Daniela é um dos casos de judeus que foram para a terra prometida, nos últimos anos, mas que regressou a Belmonte.

Na vila, nos últimos anos, têm sido muitos os membros da Comunidade Judaica a saírem para Israel. Fazendo com que a mesma diminua, o que tem sido preocupação dos responsáveis políticos. Mas nem todos ficaram. Daniela e os pais regressaram. E estabeleceram-se de novo em Belmonte onde, quando foram embora, tinham uma loja de tecidos. “Foi muito boa a experiência em Israel. Aqui, é diferente. O meu marido veio para cá para trabalhar no Museu Judaico, mas entretanto já saiu. E ficou um pouco mais complicado para nós. Mas acho que toda a gente devia sair daqui, nem que fosse só um ano, para ver como é. Nem que não ficasse. É muito bom lá estar, em termos judaicos, para viver e ver como é” conta Daniela, 29 anos.

Regressada a Belmonte, apostou na criação do seu próprio negócio. Investiu cerca de cinco mil euros em produtos e hoje, diz, o investimento já se repetiu mais três vezes, pois tem conseguido escoar na Casa da Judiaria, que abriu em 2017 bem no Centro Histórico da vila, onde outrora havia um talho. “Em Março de 2017, criámos o projecto, eu e a minha mãe, mas o meu pai também faz parte. Abri a loja só com produtos judaicos. Depois, começamos com as recordações de Belmonte e agora promovemos também os produtos da terra. Temos, por exemplo, doces kosher, feitos no concelho, com a nossa supervisão. Mas o que sai mais são mesmo as recordações” frisa a proprietária da única loja da vila dedicada ao tema judaico. Onde se pode, por exemplo, ler um livro sobre a cultura judaica, na pequena biblioteca entretanto criada.

 

(Notícia completa na edição papel)

Deixe um comentário