Isolamento obrigatório em toda a Beira Interior

Depois da Cova da Beira, Guarda e Castelo Branco também adoptam medida
0
201

Todos os cidadãos que regressem do estrangeiro ou de outras zonas do país e que se instalem na região da Guarda estão obrigados a cumprir um isolamento profilático de 14 dias, foi ontem anunciado. Em comunicado, a delegada de saúde coordenadora da Unidade de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, Ana Isabel Correia Viseu, tornou pública a determinação, “perante a actual situação epidemiológica da infecção por covid-19”.

Segundo Ana Isabel Correia Viseu, tendo em conta a situação, “urge que sejam tomadas medidas para contenção máxima de possível risco de contágio, implementando mecanismos de resposta rápida”. A delegada de saúde determina que “todos os cidadãos que regressem do estrangeiro e/ou de outras regiões do país permaneçam em isolamento profiláctico pelo período de 14 dias, a contar do dia da sua chegada” O comunicado refere que a medida é divulgada “através da colaboração da Comissão Municipal de Protecção Civil de cada município [abrangido pela ULS da Guarda], para actuação imediata”.

O distrito da Guarda engloba os municípios de Aguiar da Beira, Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa, mas a determinação da delegada de saúde coordenadora da Unidade de Saúde Pública da ULS da Guarda apenas abrange 13, ficando de fora o concelho de Aguiar da Beira, que pertence ao Agrupamento de Centros de Saúde do Dão-Lafões.

A ULS da Guarda abrange e gere os hospitais da Guarda (Sousa Martins) e de Seia (Nossa Senhora da Assunção), e também 12 centros de saúde e duas unidades de saúde familiar (A Ribeirinha, na cidade da Guarda e a “Mimar Mêda”, na cidade de Mêda), abrangendo cerca de 142 mil habitantes.

Também em Castelo Branco, todos os cidadãos que não residem habitualmente ali que venham do estrangeiro ou de zonas de contágio comunitário no país estão obrigadas a isolamento domiciliário durante 14 dias. Em comunicado, o responsável pela unidade de saúde pública local, Joaquim Serrasqueiro, tornou hoje pública esta determinação, face ao risco existente no concelho de Castelo Branco perante a actual situação epidemiológica da infecção covid-19.

“Deste modo, determino que todos os cidadãos que não residem habitualmente no concelho de Castelo Branco, que regressaram ou regressarão a este concelho, quer venham do estrangeiro ou de zonas de contágio comunitário do país, permaneçam em isolamento domiciliário durante 14 dias, a contar do dia da sua chegada”, lê-se na nota.

 

 

Deixe um comentário