Escola nega falta de comida

Agrupamento, associações de estudantes e de pais negam que haja quem passe fome no refeitório e elogiam trabalho dos funcionários
0
666

Na escola, não há falta de comida na cantina. É esta, em suma, a posição assumida quer pelo Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral, Associação de Estudantes, bem como pela Associação de Pais e Encarregados de Educação, depois de na passada semana, nas redes sociais, ter levantado algum celeuma a denúncia de uma aluna de que, nos pratos, havia pouca comida. Publicada, em foto, e repercutida num site.

A Associação de Pais, em comunicado, lembra que a partir de Janeiro, a responsabilidade das refeições escolares transita para a Câmara, devido à transferência de competências do Governo, aceites pelo município, elogiando o trabalho feito pela equipa da cozinha ao longo dos anos. “Porque, a partir de Janeiro, irão para locais ainda a definir, o nosso bem- haja pela forma atenta como sempre trataram os alunos, não deixando nunca que algum ficasse sem comer, mesmo quando se esqueciam de comprar a senha do almoço. Sopa, pão, buffet de saladas diversas e frutas variadas foram sempre uma constante nas refeições. Obrigado pela preocupação em dar a medicação a horas, a todos aqueles que não se lembravam dela.”

Já Inês Robalo, da Associação de Estudantes, garante que a escola fornece “sempre pão, salada, fruta e o prato principal, que por vezes se gosta mais ou menos, mas faz parte da educação nutricional.”
E diz ainda que há mesmo casos em que se os alunos se esquecem de tirar a senha, mas “os funcionários da cantina são compreensivos e nunca nos deixam passar fome, disponibilizando a sopa, o pão, a fruta e salada e por vezes o prato principal.” Avança ainda que na cantina “quando solicitamos uma porção maior, é sempre fornecida.”

Ao NC, Daniel Tomé, adjunto da direcção do Agrupamento, dizia que o caso estava a ser averiguado, e remetia mais explicações para um comunicado em que se lembra que a refeição facultada no dia da denúncia incluía sopa, pão, prato (batatas com medalhão de pescada), duas variedades de salada, fruta e água. E diz que a foto publicada “induzia em erro” por apenas ter sido fotografado o prato “com escassas batas e um medalhão”. A escola diz que um dos encarregados de educação “já apresentou desculpas pelo sucedido” e realça que os alunos “podem repetir”, o que aconteceu “nesse mesmo dia” segundo testemunho dos alunos. Além disso, lembra que mesmo sem senha “nenhum aluno fica sem almoço” e recorda que é “expressamente proibido fotografar sem a devida autorização dentro do estabelecimento de ensino”.

Deixe um comentário