Dois anos depois, um novo sacerdote para a Diocese

0
1208

Daniel Barroso, 26 anos, natural de Cantar-Galo, gosta de, nos tempos livres, “ler, passear e jogar à bola”. E vai ser ordenado sacerdote no próximo domingo, pelas 16 horas, na Sé da Guarda.

O até agora Diácono conta ao NC que este foi um “caminho que começou desde muito pequeno”, marcado pelas “ longas conversas com o avô nas tardes de domingo, em que ele me interrogava: por que não ser padre?”. O desafio foi-lhe lançado também por outras pessoas da comunidade, ao qual Daniel procurava sempre afastar. No entanto, aos 19 anos assumiu essa vocação, porque como diz “os desafios de Deus são criativos, e apesar destas respostas evasivas, permanecia a questão: o que é ser padre? Que missão traz consigo? Serei capaz de anunciar um Cristo?”.

O medo e as questões faziam parte da sua indecisão e do percurso. Hoje, o futuro sacerdote da Diocese da Guarda sabe que “não faz sentido ter medo de responder com coragem, arriscar e aceitar os desafios de Deus”.

Recorda todo o itinerário para chegar a este dia: “a primeira fase foi aceitar o desafio que Deus me colocava e descobrir o que Ele me pedia. Depois conversei com o meu pároco sobre o que sentia. Dizia-lhe sempre penso: não sou a pessoa certa”. Mas, e apesar das resistências, acabou por entrar no Pré Seminário percurso, durante o qual, acabou por “interiormente tomar a decisão de entrar no Seminário” decisão guardada a sete chaves. Só mais tarde o contou à família e já no Seminário frequentou o primeiro ano em Viseu, indo a iniciar o segundo ano já em Braga, na Faculdade de Teologia, vivendo no Seminário Interdiocesano de S. José. Foi lá que concluiu o curso de Teologia, no grau do mestrado, e actualmente encontra-se a colaborar pastoralmente com o arciprestado de Celorico da Beira.

A poucos dias do momento da sua ordenação, o diácono Daniel lembra que “o importante da vida, não é fazer coisas, mas nascer e deixar-se amar”. Por isso sente a grande alegria de “poder caminhar lado a lado com alguém que nunca desistiu de mim”. Os dias que antecedem à ordenação são vividos “junto da família e das pessoas que me acompanharam neste percurso. Mas também, vivo este momento no encontro pessoal com Deus, agradecendo as maravilhas que Ele realizou em mim”, afirma.

Quer tornar sacerdócio em “hospital de campanha”

Olhando para o futuro, o jovem covilhanense, diz não saber como será a vida sacerdotal, afirma “apenas querer ser um sacerdote de oração e de entrega ao próximo” e pegando nas palavras do Papa Francisco diz que quer que o seu sacerdócio seja o de um “hospital de campanha”: levar o Evangelho a todas as pessoas, pois o Evangelho é tratamento da cura para cada pessoa.

Daniel Barroso será o vigésimo sacerdote a ser ordenado por D. Manuel Felício, no espaço de 14 anos. A sua ordenação surge dois anos depois do último sacerdote a receber este ministério, em 2017, mas o futuro da Diocese da Guarda, neste âmbito carece de muitas vocações. A Diocese conta apenas com dois seminaristas que poderão vir a assumir este ministério nos próximos seis anos.

Deixe um comentário