Confecções quase paradas, lanifícios a trabalhar

Entre as grandes empresas de confecção, só uma não está em lay-off
0
437

Na Cova da Beira, devido ao coronavírus de síndrome respiratória aguda severa 2, apenas uma das grandes empresas de confecção está a laborar, o grupo Twintex, no concelho do Fundão, que na terça-feira regressou das habituais férias da Páscoa. A Trindade, no Tortosendo, procedeu ao despedimento coletivo de 60 pessoas e a Toque Dourada, na mesma vila, enviou para casa os funcionários “sem dar explicação”, segundo informação avançada pela presidente do Sindicato Têxtil da Beira Baixa, Marisa Tavares.

A dirigente informa que no sector está tudo praticamente parado. Das grandes empresas, apenas a Twintex não está em lay-off e há pequenas confecções, mais familiares, a laborar, como é o caso da Torves, também no Tortosendo.

No caso da Toque Dourado, Marisa Tavares lamenta que tenha enviado cerca de 60 pessoas para casa, argumentando não ter trabalho, “mas sem lhes ser dada uma explicação sobre a sua situação”.

“Estamos a trabalhar para tentar suspender os contratos de trabalho, para que possam ter uma fonte de rendimento”, acrescenta a presidente do STBB, segundo a qual este ramo emprega, no distrito, cerca de mil pessoas, enquanto nos lanifícios há 1.500 postos de trabalho.

De acordo com a dirigente sindical, “o impacto já é muito significativo”. Só não tem um peso maior nos trabalhadores porque, no caso das confeções, “cerca de 90% recebe o salário mínimo e não vai ter uma quebra no rendimento”.

(Notícia completa na edição PDF)

Deixe um comentário