Bispo faz apelo aos padres

D. Manuel manifesta-se contra a lógica do individualismo e pede maior comunhão do presbitério
0
884

Foi no encerramento do retiro de sacerdotes, que decorreu no Seminário da Guarda, entre os dias 18 e 22, que na manhã de sexta-feira D. Manuel Felício pediu aos sacerdotes “uma vida bem organizada e espiritualmente saudável”.

A exortação do Bispo da Guarda surgiu durante a homilia de encerramento do retiro, conduzido pelo padre Jorge Fernandes, da congregação do Verbo Divino, e no qual participaram 12 sacerdotes.

Nos últimos tempos o Bispo da Guarda tem vindo a alertar para a necessidade dos sacerdotes cultivarem a sua espiritualidade, dando mesmo a perceber que sem essa não há forma de trabalho possível e tão pouco a desejada renovação pastoral da Diocese.

Na eucaristia a que presidiu, no Seminário da Guarda, D. Manuel fez alertas directos e incisivos sobre esta questão, recordando aos presentes que na vida de padre é preciso cuidar o tempo “para a oração, para o serviço da comunidade e para o descanso pessoal”, lembrando a necessidade de “saber harmonizar, com inteligência, oração, trabalho e descanso”. Insistiu na ideia de que os sacerdotes têm de ser “homens de oração” e fazer da “liturgia o estruturante da espiritualidade”, mas com a devida “cautela” para não cair no “risco do funcionalismo, a formas mais refinada de clericalismo”.

O Bispo da Guarda pediu por fim para uma maior “comunhão em presbitério”, uma vez que os padres devem ser os “servidores da comunhão eclesial “, rejeitando “a lógica do individualismo, isolamento e a autossuficiência”. A homilia terminou com um apelo a um saudável estilo de vida sacerdotal, que testemunhe “a alegria de uma vida com qualidade” que se manifesta “quer na casa em que se habita, quer nas refeições que se toma e até na maneira como se veste”.

Deixe um comentário