BC Branco ameaça pedir indemnização

À Federação Portuguesa de Futebol pelo fim do Campeonato de Portugal
0
172

Se não for ouvido na proposta que tem para a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), e que passa pelo alargamento dos quadros competitivos, o Benfica e Castelo Branco irá pedir-lhe uma indemnização pelos danos financeiros causados esta temporada. A decisão foi divulgada na passada segunda-feira, 4, ao fim da tarde, em conferência de imprensa, na Câmara de Castelo Branco, em que além do presidente do clube, Jorge Neves, estiveram presentes o presidente da Associação de Futebol (AFCB), Manuel Candeias, e o autarca local, Luís Correia.

Em causa a decisão do organismo máximo que rege o futebol em Portugal de dar por terminada a temporada no Campeonato de Portugal, face à pandemia da covid-19, e atribuir a subida automática à II Liga a Vizela e Arouca, que das diversas séries do campeonato eram, na altura da paragem, as duas equipas com mais pontos amealhados (série A e B). Uma decisão que não agradou a diversos clubes, nomeadamente aos que lideravam outras séries, como o Olhanense, e Praiense, que estava na frente da série C, na qual o Benfica e Castelo Branco era segundo. E a outros que seguiam em segundo, e estavam na luta, como o Real Massamá, Fafe e Lourosa. E por isso, face aos regulamentos, com hipóteses de disputar os play-off de promoção. Aliás, as direcções destes clubes tinham subscrito um documento conjunto em que se mostravam surpreendidos com a decisão da FPF, já que “tal situação contraria totalmente aquilo que lhes foi transmitido desde do início do mês de Abril, pelo departamento de competições da FPF, que sempre lhes disse que aguardassem serenamente, pois, em articulação, com o Governo e a Direcção-Geral de Saúde, a breve trecho, iriam ser anunciadas as datas e os locais onde se iriam realizar os jogos de play-off.”

“Mais valia tirarem duas bolas de uma bolsinha”

Na segunda-feira, a direcção do BC Branco reforçou esta posição. A nove pontos do Praiense, o clube albicastrense considera que a solução mais justa passaria por um alargamento do segundo escalão, sendo assim promovidos os líderes das quatro séries do Campeonato de Portugal. “Propomos o alargamento dos quadros competitivos. Se não formos ouvidos, pediremos uma compensação pelos danos financeiros”, afirmou o presidente do Benfica e Castelo Branco, Jorge Neves. Que ironizou mesmo. “Em vez de ‘dar’ a subida a Vizela e Arouca “mais valia tirarem duas bolas de uma bolsinha”.

(Notícia completa na edição papel)

Deixe um comentário