Autarca da Idanha quer IC31 na cimeira luso-espanhola

Que vai decorrer na Guarda no final de Setembro
0
130

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, espera que o IC31 seja apresentado na cimeira luso-espanhola como um dos projectos para melhorar as ligações transfronteiriças. “Trata-se de uma infra-estrutura rodoviária da maior importância e a sua concretização irá afirmar as Termas de Monfortinho como a grande porta de entrada do Centro de Portugal, para turistas e mercadorias”, explica, em comunicado, o presidente do município idanhense.

O IC31 é um itinerário complementar planeado para ligar a auto-estrada A23 à fronteira espanhola através das Termas de Monfortinho e chegou a ser classificado pelo Governo de José Sócrates como uma obra prioritária. Foi considerado no Plano Regional de Ordenamento do Território como uma via estratégica para a região Centro do País.

“O projecto do IC31 é estruturante para a região Centro de Portugal e para o País no seu todo. É um investimento que irá gerar desenvolvimento económico e social, aproximar Portugal da Europa, aumentar a competitividade territorial e reforçar a coesão interna do nosso país”, sustenta o autarca.

A Câmara de Idanha-a-Nova congratula-se por a via IC31 – Castelo Branco/Termas de Monfortinho, que ligará a A23 a Espanha, constar entre as obras previstas no Plano Nacional de Investimentos 2030. “Na próxima cimeira luso-espanhola, que deverá realizar-se na Guarda, entre o final de Setembro e início de Outubro, espera-se que o IC31 seja apresentado como um dos projectos que vão melhorar as ligações transfronteiriças, que têm previsto um investimento de cerca de 80 milhões de euros e um prazo de construção entre 2024 e 2030”, lê-se na nota. Armindo jacinto saúda o facto de o IC31 estar entre os investimentos estratégicos que Portugal decidiu lançar esta década, “num compromisso que não deve ficar condicionado às alterações de ciclo político”.

Deixe um comentário