Autarca acredita que em Janeiro “Compras na Covilhã” funcionará em pleno

Plataforma “Compras na Covilhã”, lançada pela Câmara para ajudar a revitalizar a economia e comércio local, para já, apenas funciona como catálogo
0
223

“Estas soluções não nascem da noite para o dia”. Foi assim que na passada sexta-feira, 18, na reunião pública do executivo covilhanense, o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, justificou o facto de ainda não se conseguir fazer compras na plataforma digital “Compras na Covilhã”, apresentada há algumas semanas pela autarquia, em parceria com a Associação Empresarial da Covilhã, Belmonte e Penamacor (AECBP).

O vereador do CDS/PP, Nuno Reis (que substituiu Adolfo Mesquita Nunes na reunião pública do executivo, em que participou via online), questionou o autarca sobre as expectativas criadas com a plataforma, “uma boa medida” que, afirma, se tornou uma “desilusão”. Na resposta, Vítor Pereira explicou que as coisas levam o seu tempo a operacionalizar. “Não é algo fácil de implementar. Estas soluções não nascem da noite para o dia. A plataforma ainda não está completa, está em modo catálogo, e não em modo de compra, ainda não dinamizaram os vouchers bem como o cartão de fidelidade, que será muito importante. As coisas vão-se fazendo e vai funcionar. É uma boa plataforma” garante.

O autarca explicou que a Câmara assinou um protocolo de colaboração com a AECBP, a quem atribuiu 90 mil euros para ser ela a tratar desta temática, já que está no terreno mais directamente relacionada com o comércio local. Esta, posteriormente, terá contratado o serviço de uma empresa, a Magnetic Minds, por 68 mil euros, de modo a criar um sítio na Internet que “não é apenas para este tempo de pandemia, mas para ajudar a combater o definhamento do comércio, em especial, no centro da cidade. Esta é uma parceria institucional que visa preservar o comércio local” assegura Vítor Pereira. Que esclarece também que este contrato nada tem a ver com outro que a autarquia tem com a mesma empresa, no valor de 74 mil euros, para estratégias de comunicação e marketing territorial. “Não tem nada a ver com isto” garante o autarca, que acredita que em Janeiro já tudo estará a funcionar devidamente e qualquer cidadão, nessa data, de qualquer parte do Mundo, poderá fazer compras no “Compras na Covilhã”.

(Notícia completa na edição papel)

Deixe um comentário